Carregando...
Fundos de PensãoInternacionalPlantão COVID-19

Fundos de pensão registram queda recorde no primeiro trimestre

Os mercados acionários sofreram algumas das piores quedas em décadas no primeiro trimestre de 2020, na medida em que os investidores respondem à pandemia do novo Coronavírus, informou a rede britânica BBC. O Índice FTSE 100 despencou 25% e o Dow Jones Industrial caiu 23%, registrando seus maiores declínios trimestrais desde 1987. O S&P 500, por sua vez, vivenciou sua maior queda trimestral desde 2008.

Os efeitos dramáticos do novo Coronavírus fizeram com que o status de financiamento dos planos corporativos chegasse ao nível mais baixo desde 2012, indicam estudos das consultorias Willis Towers Watson e Barrow, Hanley, Mewhinney & Strauss.

Segundo a Willis Towers Watson, o fundeamento agregado dos maiores planos de pensão corporativos dos EUA caiu 8 pontos percentuais para 79% em 31 de março, ante 87% em 31 de dezembro do ano passado. Para os técnicos responsáveis, o primeiro trimestre de 2020 foi um dos piores já registrados pelos patrocinadores. Em 2012, esse patamar chegou a bater 77%. 

Em Hong Kong, o Fundo de Previdência Obrigatório (Mandatory Provident Fund – MPF) perdeu um total de HK$ 105,7 bilhões (US$ 13,6 bilhões) no primeiro trimestre, em meio à pandemia. Trata-se do pior desempenho trimestral do MPF desde 2011, quando o fundo registrou prejuízo de 12,1% devido à crise da dívida soberana na Europa. As perdas recentes praticamente anularam a rentabilidade média de 12,6% obtida ao longo de 2019, a terceira maior da década. No final de 2019, o MPF acumulava HK$ 969,46 bilhões em ativos. 

O fundo de pensão dinamarquês PenSam, dedicado aos trabalhadores de nível técnico, serviços de limpeza, cuidado a idosos e educação de estados, municípios e empresas do país filiados ao sindicato SOA, sofreu perdas da ordem de 7% no primeiro trimestre. 

CEO da Entidade que possui cerca de 20 bilhões de euros sob gestão, Torsten Fels admite que as piores perdas ocorreram no segmento de ações listadas; ainda assim, a estratégia de investimento não será alterada. “Nós, a exemplo de outros participantes da indústria, obtivemos retornos negativos este ano, mas a diversificação da nossa carteira limitou esse impacto”, observa o dirigente. “Temos capital suficiente para suportar novas quedas de preços”, complementou, salientando que a rentabilidade de 3,54% continua garantida aos participantes.  

O maior fundo de pensão alemão Bayerische Versorgungskammer (BVK), com sede em Munique, também informa que pretende manter a atual estratégia de diversificação durante a pandemia do COVID-19, embora a abordagem possa ser ajustada no futuro próximo. Graças à diversificação dos investimentos, as perdas recentes no mercado de ações “tiveram impacto limitado”, informaram os gestores, sem detalhar os resultados. 

Os investimentos em imóveis e títulos com boa classificação de crédito têm ajudado a resguardar o alcance da meta atuarial para 2020. As alocações em renda variável devem continuar em linha com os mandatos existentes. Todavia, afirmam os dirigentes, no que se refere à carteira imobiliária, novas aquisições planejadas podem sofrer atrasos devido à crise do Coronavírus. 

 

Flávia Silva

 

Photo by Carlos Muza on Unsplash